SALVE JORGE

“O mundo é um lugar perigoso para se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer.” (Einstein)
Escrita por Glória Perez, com direção de núcleo de Marcos Schechtman e direção geral de Marcos Schechtman e Fred Mayrink, ‘Salve Jorge’ é a próxima novela das nove da Rede Globo e tem estreia prevista para 22 de outubro.
A protagonista, Morena (Nanda Costa), foi criada no morro dominado pelo tráfico, entre metralhadoras, fuzis e tiroteios. Filha de Lucimar (Dira Paes) e mãe de Júnior (Luiz Felipe Mello) aos 14 anos, amadureceu cedo. Tem personalidade, atitude, marra; a sensualidade livre da mulher do povo. Guerreira, encara seus “dragões” de frente, mantendo a capacidade de acreditar nos seus sonhos aliada à fé e à coragem para seguir o duro caminho que leva até eles. 
É no cenário da pacificação do Complexo do Alemão que ela encontra Theo (Rodrigo Lombardi), oficial da cavalaria do Exército, devoto de São Jorge, como tantos brasileiros. Nem tudo, porém, se resolve quando acontece o amor. Pressionada por graves problemas familiares, Morena antevê uma grande oportunidade no convite de Lívia (Cláudia Raia) para trabalhar, por alguns meses apenas, fora do país. Só que atrás da aparência de mulher sofisticada e acima de qualquer suspeita, Lívia chefia uma rede internacional de tráfico de pessoas, crime que gera lucro de bilhões de dólares por ano.
A paixão de Morena e Theo, pontuada por tantos encontros e desencontros, na luta para escapar das garras da máfia do tráfico humano, constitui a espinha dorsal da história, e há de movimentar e gerar consequência em todos os núcleos e personagens que serão apresentados a seguir.
O tráfico de pessoas ainda é pouco conhecido da maioria da população, apesar de fazer tantas vítimas. Essa forma de escravidão, característica do século XXI, é a grande campanha social de ‘Salve Jorge’. “Há muitas vertentes deste comércio de indivíduos e vamos abordá-lo para três fins: sexo, trabalho doméstico e adoção ilegal. É uma campanha de esclarecimento, que vai contar com a participação mais do que especial de Carolina Dieckmann (Jéssica)”, explica Glória Perez.
Compõem ainda o grupo de jovens traficadas: Rosangela (Paloma Bernardi) e Waleska (Laryssa Dias), que vão sofrer e lutar, cada uma a seu modo, para escapar de tanta opressão.
Os universos da história
A saga de Morena (Nanda Costa) e Theo (Rodrigo Lombardi) terá como cenários o Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro pós-pacificação, e a Turquia, local de encontro entre Ocidente e Oriente. “A Turquia exerce um fascínio sobre todos nós. É um país formado por várias camadas históricas, orgulhoso de sua identidade multicultural”, diz o diretor de núcleo Marcos Schechtman.
Nessa nação pulsante, a brasileira Bianca (Cleo Pires) conhecerá o turco Zyah (Domingos Montagner), cogitando se dedicar a um homem pela primeira vez, apesar das grandes diferenças que os separam. Ela é cosmopolita, moderna e efervescente. Ele, rústico e forte como a Capadócia. Será que conseguirão viver um grande amor?
É por meio de tal atração avassaladora, dos núcleos compostos por aldeões do interior da Capadócia e dos comerciantes do lendário Grand Bazaar que o público poderá conhecer mais sobre a Turquia, terra de São Jorge.
Quando a princesa guerreira do Alemão encontra o cavaleiro protetor...
Há uma pergunta que sempre é feita no eclodir de uma paixão: por onde eles se atraíram?
Antes de mais nada, pode-se dizer que esse é um caso típico onde os opostos se atraem. Theo (Rodrigo Lombardi) é um Capitão do Exército. Ainda que pertença à categoria considerada mais liberal entre os militares - a cavalaria - é um homem que segue regras e só sabe viver de acordo com planejamentos. Ele precisa que tudo à sua volta esteja em ordem e perfeitamente hierarquizado.
Morena (Nanda Costa) é o inverso disso: tudo nela é improviso e liberdade.  Essas características desafiam Theo e o encantam.  Até mesmo o desamparo de sua situação social, o faz sentir-se forte e protetor.
Há eletricidade entre os dois. E um obstáculo sempre presente: a Tenente Érica, (Flávia Alessandra), namorada de Theo quando ele conhece Morena.
Quando o terceiro vértice do triângulo é a moça ideal...
Theo (Rodrigo Lombardi) e Érica (Flávia Alessandra) trabalham juntos, servindo no mesmo regimento da Cavalaria do Exército. Têm em comum a paixão pelos animais, a disciplina militar e o temperamento justo e generoso. São as afinidades que aproximam os dois.
Áurea (Suzana Faini), mãe de Theo, acha que finalmente, após tantos namoros sem importância, seu filho encontrou em Érica o par ideal. E assim teria sido, se a vida não implicasse também em acordes dissonantes.
Os desencontros do casal serão usados constantemente nas armações do Capitão Élcio (Murilo Rosa), antagonista de Theo e seu rival nas competições de hipismo.
Quando o mal se esconde atrás de uma elegante mulher...
Lívia (Claudia Raia), vilã da trama, é uma mulher sofisticada, estilosa e inteligente, acima de qualquer suspeita. Apresenta-se como agenciadora de talentos artísticos, com contatos preciosos no mundo da moda e do show business. Em função dessas atividades, costuma passar longas temporadas fora do Brasil.
Esse é o retrato oficial. O que fica na sombra é a atividade de agenciadora para tráfico de pessoas. Peça chave na engrenagem dessa nova modalidade de crime, contrata olheiros e providencia as falsificações necessárias para viabilizar a viagem das vítimas, que seduz com promessas de turnês esplendorosas e ofertas de empregos, muito bem pagos, no exterior.
As jovens embarcam acreditando que rapidamente terão dinheiro suficiente para mudar de vida e ajudar a família, mas caem nas garras de uma quadrilha competente, formada pela aliciadora e auxiliar direta, Wanda (Totia Meireles), a gerente de boates, Irina (Vera Fischer), e o chefe da segurança, o Russo (Adriano Garib).
Quando a delegada prende e o advogado solta...
É no escritório de Stenio (Alexandre Nero), Haroldo (Otaviano Costa) e Deborah (Antonia Frering) que Morena vai trabalhar como ajudante geral e trocar confidências com a secretária Lena (Monique Curi), antes de se envolver nas armadilhas de Lívia.
Stenio é um profissional de reconhecida competência. Vaidoso física e intelectualmente, está divorciado há tempos da respeitada delegada Heloisa (Giovanna Antonelli), ainda que, na opinião dos amigos, o casal não tenha conseguido se separar de verdade.
Estão sempre em desavença: na vida pessoal por causa dos desmandos da filha Drika (Mariana Rios), que encontrou um noivo mais inconsequente do que ela, Pepeu (Ivan Mendes); na vida profissional porque Stenio sempre defende e solta os suspeitos que a criteriosa delegada prende. E olha que não são poucos.
Dedicada, Helô (Giovanna Antonelli) tem também uma equipe fiel: o detetive Barros (Marcello Airoldi) e a oficial de cartório Joyce (Thammy Miranda), chamada de escrivã Jô. No decorrer da trama, fará ainda concurso para Delegada Federal e comandará a investigação sobre o tráfico humano, num jogo de gato e rato com a insidiosa Lívia.
Quando uma filha adotiva busca suas origens...
Pepeu (Ivan Mendes) e Drika (Mariana Rios) não param de se meter em encrencas. Por conta disso, Stenio (Alexandre Nero) envia o casal para Istambul, aproveitando que seu grande amigo turco Mustafa (Antonio Calloni) lhe ofereceu sociedade em uma loja. A intenção é que Pepeu aprenda o valor do trabalho, se afaste das más companhias e não o coloque em escândalos.
Mustafa é um homem rico e moderno, casado com Berna (Zezé Polessa) e pai adotivo de Aisha (Dani Moreno), que saiu do Brasil ainda bebê. Já criada, no entanto, a jovem começa a questionar os pais sobre seu processo de adoção e sonha conhecer sua família biológica. Ela irá trilhar o caminho de volta às suas origens e se surpreenderá muito nessa trajetória.
Quando uma moça diferente se apaixona por um turco tradicional...
Stenio (Alexandre Nero) é um conquistador inveterado e seu novo affair é a estilosa e independente Bianca (Cleo Pires). Juntos, vão à Turquia, e essa viagem, pensada para ser uma verdadeira lua de mel, acaba virando de ponta cabeça a vida dos dois, quando Bianca conhece Zyah (Domingos Montagner). Guia de turismo que os acompanha nos passeios, ele é um viúvo orgulhoso de suas tradições, com profunda ligação com os cavalos. Um homem capaz de misturar uma natureza rude com sensibilidade e cavalheirismo.
Se optar por Zyah, a jovem terá que abandonar todo um estilo de vida, e a sociedade em uma marca de jóias que fechou com Maitê (Cissa Guimarães) antes de sair do Brasil. Além da dificuldade de conciliar visões de mundo tão diferentes, precisará ainda enfrentar a grande família do turco, que habita um vilarejo da Capadócia e é composta pela avó Farid (Jandira Martini), o irmão Kemal (Ernani Moraes), a cunhada Esma (Elisângela), o sobrinho Demir (Tiago Abravanel) e o filho Ekran (Frederico Volkmann). Isso sem falar na geniosa Sarila (Betty Gofman), que voltando à aldeia depois de viúva, acompanhada da enteada Ayla (Tania Kalil) e da filha Tamar (Yanna Lavigne), tem a pretensão de casá-las com Demir (Tiago Abravanel) e Zyah, os solteiros mais cobiçados da aldeia.
Uma matriarca milionária e seu cachorrinho
Na mansão dos Flores Galvão quem manda mesmo é a pequena Emily,  cachorrinha da matriarca dona Leonor (Nicete Bruno), tratada por ela com todas as regalias. Boa observadora da alma humana, esta milionária diverte-se com a ambição dos enteados, que conseguiu reunir à sua volta depois que espalhou estar mal de saúde e sem perspectiva de muito mais tempo de vida.
É bem verdade que Carlos (Dalton Vight) sempre esteve ali, ajudando-a a dirigir a empresa da família. Mas as enteadas, Ada (Natália do Valle) e Rachel (Ana Beatriz Nogueira), nada fizeram a não ser gastar dinheiro com viagens e mesadas, assim como as mulheres do empresário.
Carlos casou-se primeiro com Yolanda (Cristiana Oliveira) com quem teve Caíque (Duda Nagle), e depois com Amanda (Lisandra Souto), mãe de sua filha Carol (Camila Freitas). Hoje, precisa administrar constantemente as desavenças da esposa com a ex e com as irmãs.
No entanto, nem só de conflitos vivem os Flores Galvão. Dona Leonor conta com a cumplicidade do fiel mordomo Thompson (Odilon Wagner), tipo nostálgico do passado, que preza pelas tradições, e da arrumadeira Salete (Flávia Guedes).
A matriarca também possui um coração generoso, que a faz mandar regularmente uma boa quantia em dinheiro para a amiga de longa data Isaurinha (Nívea Maria), uma ex-rica cujo marido, Arturo (Stenio Garcia), perdeu tudo em apostas e manobras arriscadas na bolsa de valores. Mesmo não tendo nem como pagar o condomínio do apartamento onde vivem, os dois não se conformam em levar uma vida mais simples e tentam a qualquer custo manter as aparências.
Celso (Caco Ciocler), filho do casal, também não apresenta o menor senso de realidade. Como o pai, está sempre pensando na próxima grande aplicação. Recusa-se a procurar um emprego estável por não conseguir nem imaginar ser funcionário de alguém.
Machista, controla a mulher, Antônia (Leticia Spiller), uma linda ex-modelo que quer voltar a trabalhar e para isso está disposta a procurar a amiga Lívia (Cláudia Raia), que no passado a descobriu e lançou como modelo. A aproximação tão ingênua com a vilã há de trazer graves consequências na vida de Antonia e de sua família.
Quando o Alemão vira ponto turístico...
Com a pacificação, o Complexo do Alemão vive um momento de euforia. Antigos moradores retornam, como Nilceia (Paula Pereira), tia de Morena, manicure especializada que atende a domicílio. Os turistas chegam pelo teleférico e aparecem inúmeras possibilidades. Tantas que Sidney (Mussunzinho) não para de postar sobre os acontecimentos e a efervescência do lugar nas mídias sociais; o malandro Miro (André Gonçalves) inaugura uma laje para receber turistas; Diva (Neuza Borges) e Clóvis (Walter Breda), donos do bar, multiplicam as mesas e os quitutes para receber os visitantes.
Seu Galdino (Francisco Carvalho) também está com a venda cheia de compradores, apesar de ninguém perceber seu entusiasmo. Nordestino e próximo do célebre Seu Lunga, ele tem pavor a perguntas bobas e aprendeu com o companheiro as tiradas rápidas e mal-humoradas.
Neste núcleo, temos ainda Delzuite (Solange Badin), amiga de Lucimar (Dira Paes), ainda que vivam se desentendendo. Mãe de Lurdinha (Bruna Marquezine) e de Samantha (Karina Ferrari), Delzuite tem um caso antigo com Pescoço (Nando Cunha), que um dia a abandonou por uma “periguete” novinha, mas depois de um tempo na prisão, mostra-se arrependido e disposto a retomar seu casamento.
Jornada turca
A equipe e o elenco de Salve Jorge passaram 45 dias gravando na Turquia, país com 2.500 anos de história, antiga capital dos impérios Romano, Bizantino e Otomano.
A jornada turca começou pela Capadócia, famosa por seu céu repleto de balões coloridos e por suas formações geológicas únicas, que lembram o território lunar.  Capadócia tem como significado “terra dos belos cavalos” e foram usados mais de 350 deles nas cenas com os atores Rodrigo Lombardi (Theo) e Domingos Montagner (Zyah) .
As belas paisagens do Vale do Amor, Vale da Rosa e Vale Devrent (da imaginação)  ambientaram os voos de balão nas cenas que retratarão o típico passeio local. Além dos balões com os atores, as cenas contaram também com a “participação especial” dos mais de 70 balões cheios de turistas que diariamente povoam os ares da região nessa época do ano.
Depois da Capadócia, foi a vez da cosmopolita Istambul.  Como pano de fundo das cenas, alguns dos cartões postais mais famosos como a Basílica de Santa Sofia, a Mesquita Azul e o Palácio Topkapi.
A Basílica de Santa Sofia foi construída pelo Império Bizantino para ser a catedral de Constantinopla . Em 1453, após a conquista dos otomanos, foi convertida em mesquita e assim permaneceu até 1935 quando foi transformada em um museu. A Mesquita Azul ganhou esse nome por conta dos azulejos que adornam suas paredes interiores e é considerada a última grande mesquita do período clássico. O Palácio Topkapi era residência oficial dos sultões otomanos. Uma suntuosa construção com centenas de salas que guardam relíquias dos tempos do império. 
“Começamos a gravar bem cedinho, antes das cinco da manhã, para aproveitarmos a melhor luz. Fomos muito bem recebidos pelo povo turco”, conta o diretor de núcleo Marcos Schechtman, que trouxe cerca de 600 cenas gravadas na viagem.
Mais de 50 pessoas, entre elas figurinistas, diretores, produtores e atores, embarcaram para a Turquia.  Nanda Costa (Morena), Rodrigo Lombardi, Cleo Pires (Bianca), Domingos Montagner, Tiago Abravanel (Demir), Alexandre Nero (Stenio) e Betty Gofman (Sarila) foram os primeiros a gravar no país. Cláudia Raia (Lívia), Antônio Calloni (Mustafa), Mariana Rios (Drika) e Ivan Mendes (Pepeu) se juntaram ao grupo em Istambul.  Éfeso, cidade turca situada na costa ocidental da Ásia Menor, foi a última parada.
Preparação do elenco - Da dança do passinho à kavkaz
O elenco de “Salve Jorge” passou por um workshop completo que abordou, através de palestras, todos os temas presentes na trama e contou com três meses de preparação corporal para os atores.
O núcleo turco, por exemplo, teve aulas de diferentes tipos de danças do país e a kavkaz será a mais abordada na novela. “A dança turca, especialmente a Kavkaz, é um ritmo em que prepondera o masculino. Ela tem muitos giros, palmas e até saltos mortais”, explica a pesquisadora e coreógrafa Sandra Regina, que há 25 anos é responsável por todos os números das novelas de Glória Perez.
Cleo Pires teve aulas de dança dos sete véus e de dança do ventre turca para interpretar Bianca, que no desenrolar da história virará dançarina. Personagens do núcleo do Complexo do Alemão tiveram aulas de funk e dança do passinho.
O grupo da cavalaria formado por Theo (Rodrigo Lombardi), Érica (Flávia Alessandra), Élcio (Murilo Rosa), Ciro (Sidney Sampaio), Nunes (Oscar Magrini), Márcia (Fernanda Paes Leme) e Drago (Leonardo Carvalho) fez aulas de montaria e passou por uma vivência de cinco dias na Academia Militar das Agulhas Negras, em Rezende, no estado do Rio de Janeiro. Os atores participaram da rotina dos cadetes e passaram por treinamentos físicos, aulas de veterinária, tiro e direção de blindados.
As aulas de culinária turca contaram com a presença das personagens: Berna (Zezé Polessa), Aysha (Dani Moreno), Fatma (Clarisse Dersie Luz), Zoe (Julia Mendes), Esma (Elizângela), Farid (Jandira Martini), Ayla (Tânia Khalil), Tamar (Yanna Lavigne) e Sarila (Betty Gofman).  Alguns atores do núcleo da Capadócia também aprenderam a dirigir quadriciclos, muito usados para se locomover na região.
Figurino - Das regatas às calças salwar
Comandada no início do projeto por Emília Duncan e desde setembro por Helena Gastal, a equipe de figurino de ‘Salve Jorge’ pesquisa constantemente para desenvolver os guarda-roupas dos diferentes universos da trama como a Turquia e o Complexo do Alemão.
Um grande mergulho na cultura e na moda turcas - através de livros, filmes e viagens à Capadócia e a Istambul - baseou o desenvolvimento do figurino desse núcleo.  Os ikats (tecidos artesanais com tingimento especial nos fios), as oyas (tipo de trabalho artesanal turco) e as calças salwar são elementos presentes nas peças usadas na novela. Já no Alemão, o trabalho de campo foi o ponto de partida para a composição de estilo.
Abaixo, destaques e detalhes de alguns personagens:
O figurino da protagonista Morena (Nanda Costa) é orientado pelo seu comportamento. Uma garota cheia de vida, antenada com a moda, que vê novela, lê revistas de celebridade, passeia pelos shoppings e compra nas liquidações ou em feirinhas versões mais baratas do que encontra nas vitrines caras. Seu estilo é marcado por camisetas regatas coladas ao corpo, calças e shorts jeans, vestidos e muitos acessórios como pulseirinhas, colares de couro e faixas de tecidos e cintos de couro trançado na cintura.
A rival de Morena, Érica (Flávia Alessandra) tem um visual mais romântico. Fora do regimento, mistura camisetas soltinhas e chifon com renda com couro, chamois e acessórios de peso que trazem o universo da cavalaria.
A vilã Lívia (Cláudia Raia) é muito sofisticada. Usa grifes famosas em uma paleta de cores suave que vai do branco, passando pelo bege e o nude, chegando ao rosé. Chapéus de abas grandes e saias lápis dão o toque final em seu estilo.
A delegada Heloisa (Giovanna Antonelli) é uma policial totalmente shopaholic, faz compras sempre que precisa aliviar o estresse . Seu visual é composto por jeans e jaquetas de couro no trabalho. Também veste calças com corte tipo bootleg (justo nas pernas e mais aberto na barra) e muita camisaria. A sensualidade fica nos decotes e fendas que usa quando não está trabalhando.
A filha de Helô, Drika (Mariana Rios), herdou o gosto da mãe pelas compras. A moça teve seu visual inspirado em blogueiras de moda brasileiras. Quais as peças que compõem seu closet? Shortinhos, saias curtas, camisetas de seda e cardigãs. As cores navy (azul, branco e vermelho) e o amarelo predominam.
Bianca (Cleo Pires) é uma moça urbana e cosmopolita. Seus looks urbanos em cores neutras foram inspirados em it girls internacionais. Os elementos mais usados são as miniblusas com cintura alta, que deixam a linha do estômago aparente, calças de alfaiataria, transparências, calças com bocas mais largas e blazers boyfriend.  Outra marca da personagem é um anel de falange, um em cada dedo dos quatro da mão. À medida que Bianca vai se envolvendo com o turco Zyah (Domingos Montagner), o estilo dela começa a incorporar roupas e acessórios étnicos ao seu visual. Tais como saias longas, lenços, coletes bordados, e também cintos, braceletes e colares, todos de cor prata com detalhes em turquesa e pedras rústicas.
Visual turco
Entre os figurinos masculinos turcos se destacam o de Zyah (Domingos Montagner) que tem um estilo cowboy com toque cigano e o do moderno e elegante Mustafa (Antonio Calloni). O primeiro é um homem rústico de profunda ligação com os cavalos. Usa coletes e lenços de ikat, um cordão de couro com um símbolo curdo, mas também usa camisas e calças sociais quando trabalha como guia em Istambul. Já Mustafa tem um estilo muito europeu como os ternos de cor clara, lenços coloridos no bolso do paletó, chapéu panamá, mocassins de cores inusitadas, sapatos do tipo slipper.
A esposa de Mustafa, a curadora de arte Berna (Zezé Polessa), possui um guarda-roupa assinado por designers turcos que jogam com elementos tradicionais em peças contemporâneas. O maior exemplo disso são os kaftans com estampas modernas muito usados por ela.
O figurino da filha do casal Berna e Mustafa, Aisha (Dani Moreno), teve como referência as roupas de jovens blogueiras turcas. Entre os seus sapatos temos as sapatilhas com estampa de ikat e nas mãos várias bolsas, uma delas é uma carteira do tipo clutch.
No núcleo da Capadócia, se destaca o visual típico do interior de Sarila (Betty Gofman). Ela usa lenços com as bordas de oya (tipo de trabalho artesanal turco) cobrindo os cabelos, calças salwar (largas como calças saruel) geralmente com a estampa Liberty (com flores miúdas) e meias coloridas por debaixo de sapatos ou sandálias de salto.
Caracterização - Do batom vermelho ao nude
Os supervisores de caracterização Marlene Moura e Rubens Libório contam o que vem por aí na maquiagem, cabelos e esmaltes dos personagens de ‘Salve Jorge’:
Morena (Nanda Costa) - a atriz colocou megahair nos cabelos castanhos e fez mechas mais claras para iluminar o rosto. A maquiagem suave é composta por blush, rímel, e sombras neutras. A cor está presente nos esmaltes alaranjados e nos batons vermelhos e corais que usa em ocasiões especiais. 
Érica - (Flávia Alessandra) - a atriz cortou o cabelo na altura dos ombros e fez mechas loiras claras. A personagem usa maquiagem bem suave com muito rímel. O esmalte é branco clarinho.
Bianca (Cleo Pires) - a personagem é moderna e tem maquiagem clean com pele e boca naturais e olhos marcados pelo delineador e pela sombra esfumada. A atriz clareou os cabelos em um degradê com a raiz mais escura e as pontas mais loiras e desfiadas.
Lívia (Cláudia Raia) - a personagem é sofisticada e usa maquiagem suave com sombra marrom. O esmalte é salmão com as pontas douradas.
Heloisa (Giovanna Antonelli) - A atriz ganhou megahair longo com mechas acobreadas. A maquiagem é em tons neutros e seu esmalte, marrom. 
Lucimar (Dira Paes) - a atriz fez luzes e os cabelos ganharam mais volume e movimento com apliques “tic tac” com mechas mais cacheadas. O esmalte é vermelho.
Lurdinha (Bruna Marquezine) - a atriz usa megahair longo com mechas loiras. As unhas são roxas com textura de pelúcia.
Miro (André Gonçalves) - O ator teve o cabelo tingido de loiro e as laterais raspadas.
Vanúbia (Roberta Rodrigues) - a atriz alisou os cabelos e tingiu os fios de loiro. As sobrancelhas foram arquedas para aumentar a expressão de metida da personagem. As longas unhas em acrigel são pintadas de cores fortes e decoradas com diversos desenhos diferentes. Seus batons são rosa pink e laranja.
Nilceia (Paula Pereira) - a personagem é exagerada, usa maquiagem carregada, olhos marcados com delineador e sombras coloridas e com muito brilho. Nos cabelos, uma grossa mecha loira na parte da frente. As unhas em acrigel são compridas e com  desenhos artísticos ultracoloridos.
Berna (Zezé Polessa) - é uma personagem turca, moderna. A maquiagem tem olhos delineados, pele suave e côncavo marrom. As unhas são no tom azul bebê.
Jéssica (Carolina Dieckmann) - A personagem é muito básica. Cortou a franja curta e não usa maquiagem.
Cenografia - Da Laje do Miro ao Topkapi
A equipe de cenografia de ‘Salve Jorge’, liderada por Mario Monteiro e Juliana Carneiro, recebeu a missão de trazer duas regiões diferentes da Turquia e o Complexo do Alemão para dentro da Central Globo de Produção. “Nosso desafio foi representar o espírito desses universos em toda a sua complexidade e não apenas replicar os lugares”, explica Juliana.
Abaixo, os detalhes das cidades cenográficas de Salve Jorge:
A Turquia

A Istambul de Salve Jorge possui 5,3 mil metros quadrados de área construída. O grande destaque é  a versão cenográfica do Grand Bazaar, um dos maiores e mais antigos mercados do mundo, onde trabalham Mustafa (Antonio Calloni) e Demir (Tiago Abravanel). Assim como o original, é cheio de corredores, restaurantes e lojas de souvenirs, doces e tapetes. Muitos dos elementos que decoram o local foram importados do país. “Trouxemos de lá as famosas luminárias, os olhos turcos de vidro, tapetes dos mais variados de kilim a suzanne, colchas, tecidos e muita cerâmica, mas também reproduzimos muitas peças por meio de plotagem”, conta.

Na Istambul cenográfica há também um aqueduto, inspirado no aqueduto de Valente, e uma área com as típicas yalı, casas de madeira tradicionais otomanas e outra inspirada nos prédios da famosa rua Istiklal, repleta de prédios neoclássicos, que caracterizam a parte européia da cidade. É aqui que fica o prédio onde viverão os personagens de Drika (Mariana Rios) e Pepeu (Ivan Mendes). Outros destaques são: o restaurante 380º, inspirado no restaurante real 360º, localizado no alto de um prédio que, com ajuda de backlots, terá uma vista linda para o Bósforo. O detalhe final da cidade é o portão que reproduz a entrada do Palácio Küçüksu, locação real situada no lado asiático de Istambul e que na história servirá como casa da família de Mustafa e Berna (Zezé Polessa).

Já a Capadócia tem uma extensão de cinco mil metros quadrados que se dividem em área rural e área turística. A parte rural reproduz as formações rochosas típicas da região. Nessa parte, se destaca a entrada da caverna onde vive Zyah (Domingos Montagner). Também nela, localiza-se a aldeia em que residem a família de Farid (Jandira Martini) e Sarila (Betty Gofman), que contém forração de tapetes, fogões típicos e mesas de refeição baixas. “O ambiente da Capadócia é muito impactante, muito diferente e tentamos reproduzir tudo isso aqui, especialmente a geografia tão peculiar”, afirma Juliana Carneiro. A parte turística tem como ponto de partida a cidade de Göreme e suas inúmeras lojas de turismo que alugam quadriciclos e vendem passeios de balão.  As cores usadas na cidade são os tons pastéis, ocres e areia para dar o toque solar, iluminado, como a Capadócia original.
O Complexo do Alemão cenográfico tem 1,8 mil metros quadrados e 14 grandes edificações, que representam casas e estabelecimentos comerciais.
As características e os elementos típicos como ruas estreitas, fios, escadas externas e caixas d´água estão bem presentes.  A maior parte das casas possui uma pequena laje, que proporciona sempre um ponto de vista superior, uma das características mais marcantes deste tipo de construção. A maior delas, a laje do Miro (André Gonçalves), fica no centro da cidade e tem três andares. De lá de cima, os turistas da história vão poder apreciar a paisagem do Rio de Janeiro inserida no vídeo por meio de efeitos especiais.
Estão localizados no Alemão cenográfico: a casa de Morena (Nanda Costa), o botequim do Clóvis (Walter Breda) e a venda do Galdino (Francisco Carvalho).
Produção de arte - Das rosquinhas aos olhos turcos
O trabalho de produção de arte de ‘Salve Jorge’, assinado por Ana Maria de Magalhães e Fernanda Bedran, foi desenvolvido a partir de uma pesquisa de campo nos diversos universos da novela.
A missão da equipe era conseguir retratar a diversidade e a complexidade de culturas tão diferentes: “Nos deparamos com a missão de realizar com excelência e veracidade os mais diferentes núcleos que a novela nos apresenta. Era preciso mostrar a complexidade dos mundos”, pondera Fernanda. 
O Complexo do Alemão, pano de fundo da personagem Morena (Nanda Costa) foi minuciosamente explorado. Os produtores de arte visitaram casas de moradores, feiras de rua e festividades, como o primeiro evento gastronômico do Morro do Adeus. Manicures, donos de bar, sacoleiras e outros profissionais da comunidade deram seu depoimento, contribuindo para tornar a novela e sua ambientação o mais real possível.
Uma incursão à rotina do Exército brasileiro foi essencial para entrar no clima do núcleo de Théo (Rodrigo Lombardi). A equipe pôde acompanhar desde o café da manhã dos militares ao treinamento de salto de cavalos, práticas veterinárias e educação física do Regimento Andrade Neves.
Ainda no Rio de Janeiro, a produção de arte participou da festa de procissão da Igreja de São Jorge em Quintino. O evento será reproduzido logo nos primeiros capítulos da novela, com seus elementos característicos: velas, fitas e imagens de São Jorge.
Para a ambientação turca, as produtoras trouxeram da Turquia teares de madeira maciça autênticos de uma pequena aldeia da região da Capadócia, que serão usados pelas personagens Sarila (Betty Gofman) e Ayla (Tânia Khalil). Também foram encomendados tapetes kilims especiais confeccionados pela metade para serem adaptados a estes teares. Os doces e iguarias turcas também foram reproduzidos e serão expostos nas lojas do Grand Bazaar cenográfico junto com mais de 1.000 olhos turcos de diferentes tipos: chaveiros, penduricalhos, enfeites de parede e adesivos. Mais de 600 roscas turcas típicas foram feitas cenograficamente para enfeitar as barraquinhas de venda idênticas às de Istambul.
Um dos desafios enfrentados foi a continuidade de veículos no Brasil, Turquia e Espanha. “Os carros europeus são muito diferentes dos nossos e foi preciso uma grande pesquisa, pintura de carros, compra de novos parachoques, faróis e envelopamentos”, conta Fernanda. A sinalização de ruas, hotéis, polícia, ambulância, boates e táxis, tanto da Turquia quanto de Madri foram recriadas a partir das originais.
Fotografia
“Artesanal” é assim que o diretor de fotografia Elton Menezes define a linguagem de iluminação de ‘Salve Jorge’. A ideia é que a fotografia ajude a contar mais a história de cada cena. Partindo dessa premissa, Elton e sua equipe desenvolvem uma luz específica para cada ação, de acordo com a carga dramática da cena.
“Não vai ter sempre a mesma luz do sol entrando pela janela. Vai existir um contraste de luz que depende da informação da cena. Não tem um conceito total da novela, mas sim uma interpretação de cada uma. Isso requer mais tempo e mais dedicação, mas vale muito a pena. Especialmente nessa novela que tem múltiplos universos”, detalha.
O ponto de partida da equipe é manter uma luz natural tanto na cidade cenográfica como nas cenas de estúdio ou internas. O grande desafio é conseguir fazer a junção das imagens captadas nos lugares de origem com as gravadas na nossa cidade cenográfica. “Queremos que a pessoa que esteja assistindo acredite que aquilo é uma casa no complexo do Alemão ou uma casa na Turquia”, adianta. 
Entrevista com a autora Glória Perez
“Quero dar visibilidade aos invisíveis, dar voz aos que não tem voz”, declara Glória Perez ao falar do principal tema de ‘Salve Jorge’: o tráfico de pessoas. A autora costuma promover campanhas sociais em suas obras e dessa vez fará um alerta sobre a denominada “escravidão do século XXI”.
 Formada em História, Glória começou sua carreira como autora de telenovelas em 1983, sendo colaboradora de Janete Clair em ‘Eu prometo’. Assinou as minisséries ‘Desejo’ (1990), ‘Hilda Furacão’ (1998), ‘Amazônia – De Galvez a Chico Mendes’ (2007) e as novelas ‘Eu prometo’ (colaborando com Janete Clair), ‘Partido Alto’ (em parceria com Aguinaldo Silva), Carmem (TV Manchete, 1985), ‘Barriga de Aluguel’ (1991), ‘Explode Coração’ (1995), ‘O Clone’ (2001) e ‘América’ (2005).
Seu último trabalho, ‘Caminho das Índias’ (2009), foi a primeira produção nacional a ganhar o prêmio Emmy Internacional de melhor telenovela.
 Em ‘Salve Jorge’, Glória conta com quatro pesquisadoras em sua equipe: Julia Laks, Malga di Paula, Berna Ayat e Sandra Regina, que também acumula a função de coreógrafa.
Como surgiu a ideia da trama principal de Salve Jorge? Qual foi a sua inspiração para escrever essa história? O que São Jorge representa para você?
O mito de São Jorge me remete a pessoas que enfrentam, cotidianamente, seus dragões. Minha inspiração são esses guerreiros anônimos que desejam e buscam uma vida melhor. Tal conceito está presente em todos os núcleos da trama e explícito na história da protagonista Morena.

Ela tornou-se mãe ainda menina e logo cedo precisou batalhar por seu sustento e o do filho. Moradora do Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, também sempre se defendeu como pôde num território dominado, durante anos, pelo tráfico e pelo medo. No início da novela, passa por um momento de euforia, depois que o Exército toma o morro, iniciando o processo de pacificação, e quero retratar este resgate da cidadania, estimular uma reflexão sobre o local.
Na ficção, porém, Morena aceita uma proposta de trabalho que parece resolver todos os seus problemas financeiros e cai numa verdadeira cilada. Vítima do tráfico humano, precisa lutar, como nunca, para sobreviver.
Por que escolheu a Turquia como cenário? Como passou a ter interesse pelo país?
Eu precisava de um país no exterior para contar essa história. Encontrei numa livraria as duas primeiras publicações da Kátia Mindlin Leite Barbosa e da Dalal Achcar sobre a Turquia e fiquei encantada. Percebi logo que a cultura milenar, a mistura entre Oriente e Ocidente e o cenário deslumbrante renderiam uma bela trama.
Depois, pesquisei muito para absorver, ao máximo, cada aspecto do país antes de embarcar para Istambul e para a Capadócia. Quando cheguei, no entanto, não deixei de me surpreender. A Turquia é fantástica!
E o Complexo do Alemão, por que elegeu o lugar como berço da protagonista Morena?
A tomada do Complexo do Alemão pelo Exército foi um marco para o processo de pacificação do Rio de Janeiro, fundamental para a cidade e, claro, para todo o país.
Eu me emocionei com o resgate de uma parcela da população que há muito vivia amedrontada, sob o domínio de leis paralelas, e quis dar visibilidade a ela. Por isso, situei a protagonista, a trama central, neste universo.

No passado, a imagem do local estava sempre associada também a barbáries como o assassinato do Tim Lopes. Hoje, quando penso na região, lembro-me de talentos como o Otávio Jr, que com sua biblioteca itinerante estimula o hábito pela leitura, o Renê Silva, que fundou o Jornal A Voz Da Comunidade, o fotógrafo Bruno Itan, a “Adriana da empadinha” e muitos outros que a violência imposta pela o tráfico nos impedia de conhecer. Eles estarão todos em Salve Jorge.

Como você descreveria o casal central formado por Morena e Theo? Quais as características mais importantes dos dois personagens?
Morena é uma mulher do Complexo do Alemão, linda, alegre, doce e intempestiva, que respira liberdade. Theo, um Capitão da Cavalaria do Exército, leal, corajoso e sedutor, mas acostumado a viver de acordo com regras bem definidas. E essas personalidades, aparentemente opostas, se completam. A paixão dos dois, seus encontros e desencontros e a luta da protagonista para escapar da máfia do tráfico humano, constituem a espinha dorsal da novela.

Sua obra é marcada por campanhas sociais que já ajudaram e esclareceram muito o público brasileiro. Dessa vez você traz à discussão o tráfico humano. O que te motivou a tratar do tema?
O tráfico humano é um crime extremamente rentável, que escraviza milhares de indivíduos em todo o mundo. Paradoxalmente, porém, apresenta um caráter invisível: a maioria das pessoas nunca ouviu falar ou acredita que se trate de “lenda urbana”. Isso mesmo nos meios de gente informada.

Como em outras campanhas minhas, quero dar voz a quem não tem. A trama abordará o tráfico para diferentes fins: sexual, trabalho doméstico e adoção ilegal. Ao longo da pesquisa, conversei com diversas vítimas e boa parte delas dará também seu depoimento para a novela.

Como foi o processo de escalação do elenco? Como se deu a escolha de Nanda Costa, que está interpretando sua primeira protagonista na TV?
Nanda é uma atriz incrível, visceral: exatamente o que procuro para as minhas protagonistas. Sem medo dos limites, que vestiu perfeitamente uma personagem repleta de nuances. Não é por acaso que ela já ganhou tantos prêmios, no Brasil e no exterior, por sua atuação no cinema.

Sua parceria com o  Marcos Schechtman vem de longa data e rendeu o prêmio Emmy Internacional de melhor telenovela por "Caminho das Índias". Como é trabalhar com ele?
Acho que fazemos uma boa dupla. É um diretor apaixonado pelo que faz, gosta dos desafios, como eu, e mergulha fundo nos temas que proponho.
 
O que os telespectadores podem esperar de "Salve Jorge"?
Espero que ela emocione, divirta e faça pensar. É uma novela colorida que fala de grandes paixões, sonhos, lutas e superações.

Entrevista com o diretor de núcleo e diretor-geral Marcos Schechtman
O diretor-geral e de núcleo Marcos Schechtman tem as melhores expectativas para ‘Salve Jorge’. “Esperamos contar uma história que mobilize, encante e traga questões importantes como a do tráfico de pessoas”, afirma.

Formado em Ciências Sociais e Filosofia, Schechtman tem uma extensa carreira na televisão. Foi diretor artístico do departamento de teledramaturgia da extinta TV Manchete e esteve à frente de produções como “Carmem” (1987), “Kananga do Japão” (1989), “A História de Ana Raio e Zé Trovão” (1990) e “Guerra sem fim” (1993).

Já na TV Globo trabalhou nas minisséries ‘A Casa das Sete Mulheres’ (2003) e ‘Amazônia – De Galvez a Chico Mendes’, e nas novelas ‘Corpo Dourado’ (1998), ‘Suave Veneno’ (1999), ‘Laços de Família’ (2000), ‘O Clone’ (2001), ‘Celebridade’ (2003), ‘América’ (2005) e ‘Araguaia’ (2010). Também dirigiu ‘Caminho das Índias’ (2009), primeira produção nacional a ganhar o prêmio Emmy Internacional de melhor telenovela.

Você tem como característica sempre mergulhar profundamente nos temas abordados nas novelas que dirige. O que mais te impressionou na pesquisa de ‘Salve Jorge’?
Não podemos ter a pretensão de falar de outra cultura sem ter o mínimo de fundamento, por isso a pesquisa é essencial. O que mais me impressionou na Turquia foi a ancestralidade e a identidade multicultural. Istambul é o verdadeiro berço da história; já a Capadócia está no coração da Turquia, tem valores fortes e muito verdadeiros, além de ser uma região incrível e única no mundo inteiro.

Há também o visual impactante do Alemão, que é central na história por ser a origem da nossa protagonista. É um Rio de Janeiro desconhecido e lindo, com um colorido muito próprio. Foi emocionante entrar em um território que vive um resgate de cidadania. Tem características muito próprias, é uma região que acolheu gente do Brasil inteiro, com um DNA de uma longa tradição popular, inclusive musical.

E o que você tem achado do resultado das gravações até aqui?
O grande balanço é o público quem faz. Mas é uma novela complexa, que exige uma direção consistente para entrelaçar todos os universos. Acho que estamos em um caminho muito interessante, desenvolvendo uma obra que comove por sua amplitude. É uma novela de São Jorge mesmo, de guerreiros, os desafios são constantes.

Como está sendo gravar no Alemão? E incluir a participação especial de moradores da vida real?
A comunidade está junto com a gente. Em uma das gravações, conhecemos uma moradora, a Dona Constância, que declarou que estava muito feliz de, no auge dos seus mais de 70 anos, ter o prazer de ver uma novela sendo gravada na porta de sua casa. Nós fomos recebidos com uma hospitalidade comovente. Gravar no Alemão nos traz muita verdade e uma sensação de pertencimento.

A novela trata de diferentes universos. Você estabeleceu um conceito único para eles ou cada núcleo tem um conceito?
Os universos têm suas particularidades, mas a perspectiva assimétrica une esses universos. No Alemão, o crescimento é vertical e totalmente assimétrico. As formações rochosas da Capadócia são assimétricas e a mesma coisa acontece em Istambul, que sofreu a influência de vários povos e por isso também tem a assimetria como característica.

O que tem a dizer sobre esse elenco?
Todos os atores precisaram se preparar longamente para os seus personagens, porque estão vivendo universos muito específicos, tiveram que absorver a cultura de cada núcleo. A nossa direção, toda nossa estrutura de dramaturgia, está trabalhando profundamente para dar vida e verdade para nossa história.

Sua parceria com a Glória Perez, como funciona?
É um privilégio trabalhar com a Glória, essa grande dramaturga que possui uma escrita incrível. Temos em comum o gosto em “olhar para o outro”. Nossa parceria funciona bem, porque somos dois grandes apaixonados pelo que fazemos.

Perfil dos personagens
O ALEMÃO
MORENA E OS SEUS
MORENA (Nanda Costa) - garota do Alemão, cheia de vida e de personalidade.  Tendo sido mãe aos 14 anos, amadureceu cedo. Namora THEO (Rodrigo Lombardi), capitão da cavalaria que participa da pacificação do Alemão. Na ânsia de conquistar uma vida melhor para sua família, se torna vítima do tráfico de pessoas.
JUNIOR (Luis Felipe Lima) - filho de MORENA (Nanda Costa), nascido de um romance de baile funk com BETO (Sacha Bali), que nunca assumiu a paternidade do filho.
LUCIMAR (Dira Paes) - mãe de MORENA (Nanda Costa). Criou a filha sozinha, acumulando faxinas, e segurou a barra da gravidez precoce de MORENA. Alegre, vaidosa, do tipo que não leva desaforo pra casa.
NILCEIA (Paula Pereira) - irmã de LUCIMAR (Dira Paes). Manicure faladeira, se considera muito fashion.
VANUBIA (Roberta Rodrigues) - moradora do Alemão, namorada de BETO (Sacha Bali), desafeto de MORENA (Nanda Costa) .
DELZUITE (Solange Badin) - mãe solteira de LURDINHA (Bruna Marquezine), adolescente rebelde, e SAMANTHA (Karina Ferrari). Casada com PESCOÇO (Nando Cunha), ex-presidiário que está sempre reincidindo.
CLÓVIS (Walter Breda) - dono de bar, tipo pacato que não gosta de se meter em confusão. Pessimista ao extremo está sempre esperando o pior em todas as situações. Casado com DIVA (Neuza Borges).
DIVA (Neuza Borges) - mulher de CLÓVIS (Walter Breda), toca com ele o bar. Ciumenta e mandona. Abelhuda, vive se metendo em confusão com os vizinhos.
SIDNEY (Mussunzinho) - neto de CLÓVIS (Walter Breda) e DIVA (Neuza Borges). Adolescente interessado e inventivo. Curioso, cheio de desejo de aprender, de adquirir conhecimentos. Associa-se à garotada da Voz da Comunidade.
SEU GALDINO (Francisco Carvalho) - dono de uma venda, nordestino de casco duro e coração mole. Não suporta ignorância e tem sempre uma resposta pronta para as perguntas que considera bobas.
MIRO (André Gonçalves) - malandro simpático, com muito senso de oportunidade. Está sempre descobrindo uma maneira de aproveitar a maré e se dar bem.
O ASFALTO
O ESCRITÓRIO E A DELEGACIA
STENIO (Alexandre Nero) - dono do escritório de advocacia. Vaidoso, intelectual e fisicamente. Brilhante como advogado, mas com uma ética bem elástica. Ex-marido de HELOISA (Giovanna Antonelli) e pai de DRIKA (Mariana Rios).
HELOISA (Giovanna Antonelli) - delegada de polícia, determinada, honesta, chique e bem-humorada. Luta contra a compulsão do consumismo e está sempre em guerra com seu ex-marido STENIO (Alexandre Nero), que costuma soltar os suspeitos que ela prende.
HAROLDO (Otaviano Costa) - advogado do escritório de STENIO (Alexandre Nero). Alegre e namorador.
DEBORAH (Antonia Frering)- advogada do escritório de STENIO (Alexandre Nero), tida por HELÔ (Giovanna Antonelli) como a responsável pela separação dos dois.
LENA (Monique Curi) - secretária fiel, confidente de STENIO (Alexandre Nero).
JOYCE (JÔ) (Thammy Miranda) - escrivã na delegacia. Sonha ser detetive e é DJ nas horas vagas.
BARROS (Marcello Airoldi) - detetive, braço-direito de HELÔ (Giovanna Antonelli).
MAITÊ (Cissa Guimarães) - amiga e confidente de HELÔ (Giovanna Antonelli). Designer de jóias.
BIANCA (Cleo Pires) - antenada, moderna, transgressora. Está namorando STENIO (Alexandre Nero), quando surpreende a todos, apaixonando-se pelo rude ZYAH (Domingos Montagner).
FAMILIA FLORES GALVÃO
LEONOR (Nicete Bruno) - a matriarca. Viúva espirituosa, alegre, excêntrica. Muito rica, hábil em se desviar dos golpes que lhe pretendem dar os enteados. Adota um cachorro, dando-lhe regalias que irritam os outros membros da família.
THOMPSON (Odilon Wagner) - copeiro de LEONOR (Nicete Bruno). Austero e saudoso de tempos mais formais.
SALETE (Flávia Guedes) - ajudante de THOMPSON (Odilon Wagner).
ADA (Natalia do Valle) - enteada de LEONOR (Nicete Bruno). Aquele tipo de mulher que muda de personalidade a cada namorado que arranja. Impulsiva e passional, explode facilmente diante das provocações de RACHEL (Ana Beatriz Nogueira).
RACHEL (Ana Beatriz Nogueira) - enteada de LEONOR (Nicete Bruno), irmã de ADA (Natalia do Valle) e CARLOS (Dalton Vigh). Esperta, bem-humorada, teatral, armadora e extremamente racional.
CARLOS (Dalton Vigh) - enteado de LEONOR (Nicete Bruno), cuida dos negócios da família. Casado com AMANDA (Lizandra Souto). O que o tira do sério é a guerra acirrada entre as irmãs e a mulher atual e a ex YOLANDA (Cristiana Oliveira).
AMANDA (Lizandra Oliveira) - esposa de CARLOS (Dalton Vigh), em guerra com as cunhadas e com YOLANDA (Cristiana Oliveira), a ex-mulher de CARLOS. Vaidosíssima, sempre ligada a tudo o que diga respeito à beleza. Não se dá bem com o enteado CAÍQUE (Duda Nagle).
CAROL (Camila de Freitas) - filha de CARLOS (Dalton Vigh) e AMANDA (Lizandra Souto).
YOLANDA - primeira mulher de CARLOS (Dalton Vigh), está na disputa ferrenha pela herança de LEONOR (Nicete Bruno). O que lhe falta em instrução sobra em esperteza.
CAÍQUE (Duda Nagle) - filho de YOLANDA (Cristiana Oliveira) e CARLOS (Dalton Vigh). Para desgosto de THOMPSON (Odilon Wagner), frequenta bailes de funk e leva amigos “sem berço” para a piscina da mansão. Vai namorar LURDINHA (Bruna Marquezine).
FAMILIA ALCÂNTARA VIEIRA
CELSO (Caco Ciocler) - Boa pessoa, mas um tanto descuidado no que diz respeito ao amor: falta-lhe inteligência emocional para perceber a insatisfação de ANTONIA (Letícia Spiller).
ANTONIA (Letícia Spiller) - esposa de CELSO (Caco Ciocler). Está naquele momento de vida em que nada falta e parece que falta tudo. Foi modelo, e quando estava explodindo na profissão conheceu o marido. Por exigência dele, deixou a carreira para casar-se.
RAISSA (Kíria Malheiros) - filha de ANTONIA (Letícia Spiller) e CELSO (Caco Ciocler). 
ISAURINHA (Nívea Maria) - mãe de CELSO (Caco Ciocler). Vive uma fase de decadência, depois que o marido ARTURO (Stenio Garcia) perdeu a fortuna da família jogando na bolsa. Discretamente, recebe uma ajuda de LEONOR (Nicete Bruno), para seus alfinetes. E procura defender com unhas e dentes o que lhe restou dos tempos áureos: alguma jóia, um casaco de pele, coisas assim.
ARTURO (Stenio Garcia) - bon vivant, sedutor, alegre, mantém o bom humor e o espírito esportivo, mesmo tendo perdido a fortuna. Está sempre de olho num grande negócio, capaz de trazer de volta a fortuna perdida.
DÁLIA (Eva Todor) - amiga e confidente de ISAURINHA (Nívea Maria) e LEONOR (Nicete Bruno). Indiscreta, acaba sendo responsável pela eclosão de um grande escândalo na família.
THEO E SEU MUNDO
THEO (Rodrigo Lombardi) - capitão da cavalaria. Honesto, corajoso, simples, leal, ético. Tem uma relação toda especial com os cavalos, compreendendo seus sentimentos. É impulsivo, sedutor e afetuoso. Namora ÉRICA (Flávia Alessandra), mas se apaixona por MORENA (Nanda Costa).
ÁUREA (Suzana Faini) - mãe de THEO. Mãezona, daquelas que sabem sempre o que é melhor para o filho. Não aceita o envolvimento dele com MORENA (Nanda Costa).
CACILDA (Rosi Campos) - vizinha de ÁUREA (Suzana Faini). Aposentada, solteira e engraçAda.
ÉRICA (Flávia Alessandra) - tenente veterinária do Exército. A namorada que THEO (Rodrigo Lombardi) abandona por MORENA (Nanda Costa). Orgulhosa e determinada, saberá lutar por ele sem ferir nenhum princípio ético.
JULINHA (Cris Vianna) - divide o apartamento com ÉRICA (Flávia Alessandra). Amiga e confidente.
MARCIA (Fernanda Paes Leme) - tenente, colega de ÉRICA (Flávia Alessandra) no regimento. Tem um temperamento mais forte do que o dela.
CORONEL NUNES (Oscar Magrini) - Alegre e vaidoso, será uma das vítimas de ADA (Natália do Valle).
ÉLCIO (Murilo Rosa) - capitão da cavalaria: mandão, genioso, traiçoeiro. Acredita que o regimento está favorecendo a THEO (Rodrigo Lombardi) e não vai hesitar para reverter o quadro.
CIRO (Sidney Sampaio) - oficial da cavalaria: amigo de THEO (Rodrigo Lombardi).
DRAGO (Leonardo Carvalho) - oficial da cavalaria: amigo e confidente de ÉLCIO (Murilo Rosa).
ISTAMBUL
FAMILIA MUSTAFA e seus agregados
MUSTAFA (Antonio Calloni) - cosmopolita, elegante, um comerciante rico e com boa formação. Tem um grande entusiasmo por tudo que diga respeito a seu país. É passional, explosivo e tem dificuldade em lidar com a adoção de AISHA (Dani Moreno).
BERNA (Zezé Polessa) - esposa de MUSTAFA (Antonio Calloni), sente-se rejeitada quando a filha demonstra desejo de conhecer os pais biológicos. É uma mulher ativa, forte, fez universidade e trabalha fora.
AISHA (Dani Moreno) - filha adotiva de BERNA (Zezé Polessa) e MUSTAFA (Antonio Calloni). Faz faculdade, se dá muito bem com os pais, mas está obcecada pela ideia de conhecer sua origem. É moderna e esperta.
ZOE (Julia Mendes) - amiga e confidente de AISHA (Dani Moreno).
MURAT (Anderson Müller) - gerente da loja de MUSTAFA (Antonio Calloni) e seu braço direito. Honesto, leal, orgulhoso de sua cultura. 
BUQUÊ (Narjara Turetta) - trabalha na loja de MUSTAFA (Antonio Calloni).
DRIKA (Mariana Rio) E PEPEU (Ivan Mendes) - o casal vai morar em Istambul logo nos primeiros capítulos. DRIKA é filha de STENIO (Alexandre Nero) e HELOISA (Giovanna Antonelli). Impetuosa e mimada. Os pais sempre discordaram de sua criação: STENIO é do tipo que permite tudo, HELOISA, a mãe durona. Para não se deixar enquadrar, preferiu viver com o pai, e contra a vontade dos dois se uniu a PEPEU, tipo simpático, irresponsável, amoral, namorador. 
FATMA (Clarisse Dersie Luz)- esposa do porteiro. Faz as faxinas no prédio e vai trabalhar na casa de DRIKA (Mariana Rios) e PEPEU (Ivan Mendes) quando forem morar em Istambul.
CAPADOCIA
ZYAH E SUA FAMILIA
ZYAH (Domingos Montagner) - É um tipo rude e doce, que sempre viveu nas montanhas da Capadócia. Nas temporadas turísticas trabalha como guia – na Capadócia e em Istambul. Viúvo, tem um filho de oito anos, EKRAN (Frederico Volkmann).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário

Comente, sua opinião é importante para o blog.