Divã


Uma mulher feliz, simples e consciente de suas conquistas. Assim é Mercedes, personagem de Lilia Cabral em ‘Divã’, seriado que vai ao ar a partir de abril na Rede Globo, com texto de Marcelo Saback, direção de núcleo de Jayme Monjardim e direção-geral de José Alvarenga Jr.

Após algum tempo afastada da terapia, a recém-separada Mercedes (Lilia Cabral) decide retornar ao consultório. Com Bruno (Duda Nagle) e Thiago (Johnny Massaro), dois filhos crescidos, cheios de planos e metas, ela segue com sua vida, repleta de erros e acertos.  Tentar e arriscar faz parte de sua natureza, mas, com o fim de seu casamento, passou a se permitir mais, julgar menos e a colocar em prática sua maior paixão: as artes plásticas. Essas mudanças, porém, trouxeram novas perguntas e ela volta a encontrar no divã o conforto necessário em busca de novas respostas para outros tantos questionamentos. 


Fazer o papel da amante com o homem dos seus sonhos em Nova York, lidar com o namoro do filho com uma pessoa mais velha, reencontrar o amor da escola, perceber que a vida pode ser muito breve e fazer amizades virtuais são apenas alguns dos desafios que ela irá viver. E para dividir esses momentos, Mercedes terá ao seu lado dois grandes parceiros - o cabeleireiro Renée (Paulo Gustavo), amigo confidente sempre a aconselhando de forma hilariante e inusitada, e Tânia (Totia Meireles), sua fiel escudeira e braço direito. Descolada e divertida, é dona de uma galeria de artes e dará a Mercedes a oportunidade de expor os seus trabalhos. E para perturbá-la, ou apenas para levantar sua autoestima, ela terá por perto o vizinho Jurandir (Marcello Airoldi). Gerente de um  banco e cinquentão viúvo, faz o papel do eterno apaixonado, apesar de estar longe de ser o tipo que a interesse. 


Para as gravações do seriado, que começaram em janeiro, o apartamento de Mercedes e o salão de cabeleireiro foram montados em um dos estúdios da Central Globo de Produção. Nas externas, muitas cenas em uma galeria de arte criada especialmente para ‘Divã’, além de gravações na cidade de Nova York, previstas para março. “Nós buscamos cenários com histórias, personalidade própria e aspecto cinematográfico. Mercedes é uma mulher que não tem medo de se expor, que movimenta o imaginário de todos nós. Então procuramos ambientes singulares, onde ela pudesse expressar tudo isso”, assinala José Alvarenga Jr., que dirigiu o sucesso no cinema e agora conta com parte do elenco e equipe de produção para realizar a continuação do projeto.

Com muita delicadeza e humor, o seriado mostra a vida de uma mulher comum, viável. “Mercedes é uma sábia representante de todos nós e por isso essa história é tão instigante”, conta Saback. O diretor de núcleo Jayme Monjardim também faz coro quando o assunto é ‘Divã’: “É um projeto incrível. Como fã incondicional da Lilia, não poderia ficar mais feliz em apresentar esta personagem na televisão”.


Figurino e caracterização: uma nova Mercedes em ‘Divã’

A figurinista de ‘Divã’, Ellen Milet, se inspirou no filme para a criação do figurino do seriado. Logo, a cor azul e todas as suas variações continuam prevalecendo no visual de Mercedes, mas alguma mudanças significativas aparecem na personagem. "Mercedes continua com o mesmo estilo, mas com a diferença agora de ser uma mulher separada. A essência é a mesma, mas, de certa forma, essa nova vida acaba influenciando o seu visual no seriado", expõe. 

Mais feminina, moderna e sensual, a personagem de Lilia Cabral surge com os cabelos mais longos e usando decotes acentuados, braços de fora e saias rodadas. Vestidos estampados e com cara de verão também farão parte do guarda-roupa de Mercedes.  Já em Nova York, devidamente adaptada ao visual da cidade, ela poderá ser facilmente confundida com uma novaiorquina. “Mercedes vai deixar tudo no Brasil e se vestir como uma pessoa local. Cores escuras, muito preto, cinza e azul estarão no figurino. É quase monocromático”, detalha Ellen.

Para a personagem de Totia Meireles , a figurinista usou como base a personalidade forte de Tânia. “Ela é uma mulher sofisticada e moderna, o visual será o mais minimalista possível, simples, com muito preto, bege e colares que podem ser confundidos com objetos de arte”, define. O cabeleireiro Renée (Paulo Gustavo) adota coletes e estampas meio rock´n roll.

Cenografia e produção de arte

Para dar vida ao universo de Mercedes, a equipe de cenografia e produção de arte, ficou atenta aos mínimos detalhes ao criar os cenários da personagem. A casa de Mercedes e o salão de beleza que ela frequenta foram ambientados nos estúdios da Central Globo de Produção. “Fizemos uma casa de verdade dentro do estúdio, com cozinha, todos os quartos, banheiro, sala e o ateliê de pintura. A partir deste cenário, e das cores dele, todos os outros foram desenvolvidos. Como Mercedes é uma artista, e no seu ateliê há um grande mural aquarelado feito por ela, estendemos este conceito para todos os outros cenários”, explica o cenógrafo Claudio Domingos.

Separada e com o trabalho como pintora despontando, a casa de Mercedes reflete essa sua fase mais confiante e segura. Não há nada que seja moda ou tendência no cenário, apenas o que Mercedes seria capaz de escolher, pensar ou criar. “São móveis que seriam herdados ou comprados por ela há muito tempo. Alguns ela mesma pintou e renovou. Não quer dizer que seja antiquado, é apenas atemporal. Mercedes estará sempre à parte das tendências, ela é única”, detalha Claudio.  

Obras de arte e o trabalho de diversos artistas em ascensão no mercado de artes plásticas também estarão no seriado.  Para realizar o trabalho de produção de arte de ‘Divã’, Luiz Carlos foi buscar em galerias, como Amarelonegro, Cosmocopa e Silva Cintra + Box 4, nomes que pudessem ilustrar melhor estes trabalhos. “A ideia é levar ao telespectador esses talentos e mostrar que é possível apresentar arte na televisão. Nomes como Felipe Barbosa, Rosana Ricalde, Ricardo Ventura, Alexandre Orion poderão ser vistos em Divã”, revela. Já os trabalhos de Mercedes foram todos produzidos pela equipe de produção de arte do seriado. Ficção e realidade irão se misturar a tal ponto que a exposição individual da personagem na galeria terá, inclusive, uma curadoria especial. “Convidamos o crítico de arte Marco Antonio Teobaldo para assinar os trabalhos que a equipe de arte preparou para Mercedes”, conta o produtor.

Entrevista com o autor Marcelo Saback

O ator, diretor e autor Marcelo Saback tem diversificado seu trabalho em várias mídias. Ainda adolescente, em Brasília, apresentou-se com Oswaldo Montenegro e Zélia Duncan. Mais tarde, já formado em Artes Cênicas, trabalhou com Dulcina de Moraes. No Rio, dirigiu várias peças, de tema adulto e também infantil, e foi indicado aos prêmios Shell e Moliére. Na tevê, fez participações em novelas e dirigiu o programa ‘Chico Total’ nos anos 90. Como roteirista, escreveu para os humorísticos ‘Sai de Baixo’, ‘Vida ao Vivo’ e Sob Nova Direção’. Foi também colaborador na primeira temporada de ‘Tudo Junto e Misturado’.

Qual foi o maior desafio desta adaptação?

Marcelo Saback: O maior desafio é imaginar a mesma personagem proposta por Martha Medeiros vivendo outras situações, contando outras histórias e refletindo sobre outras questões, agora propostas por mim. O que teoricamente parece simples, na verdade tornou-se um instigante exercício.     

O que o seriado terá de diferente do filme e da peça?

Marcelo Saback: O seriado tem a personagem central e seu núcleo de relações mantido. Inclusive, e como não poderia deixar de ser, sua visita semanal à terapia. A linguagem da narrativa é similar. Mas apenas isso. As histórias seguem do ponto onde parou no filme em diante.

O que veremos da transformação de Mercedes? Ela vai se permitir mais?

Marcelo Saback: Sim, claro! (risos) Mercedes sempre questiona, e quem questiona não pára! E quanto mais nos analisamos, mais nos permitimos a erros e acertos. Mercedes viverá novas situações, felizes, tristes, vai rir, vai chorar, vai ganhar e perder. Terá certezas e incertezas como todos nós.


Entrevista com o diretor de núcleo Jayme Monjardim

Jayme Monjardim é um diretor de grandes sucessos. Seus mais recentes trabalhos na TV Globo foram os programas ‘Acampamento de férias II – Árvore da Vida’ (2011) e ‘Aventuras do Didi’ (2010), as novelas ‘Viver a Vida’ (2009), ‘Páginas da Vida’ (2006), que marcou o início de sua parceria com Manoel Carlos, ‘América’ (2005), ‘O Clone’ (2001) e ‘Terra Nostra’ (1999), todas ganhadoras de prêmios internacionais. Também esteve à frente das minisséries ‘Maysa – Como fala o coração’ (2009), ‘Chiquinha Gonzaga’ (1999), ‘Aquarela do Brasil’ (2000) e ‘A Casa das Sete Mulheres’(2003). No cinema, Jayme dirigiu o filme “Olga” (2004), baseado no livro homônimo de Fernando Morais.
  


De onde surgiu a ideia de adaptar ‘Divã’ para a TV?

Jayme Monjardim: Ter um projeto com a Lilia Cabral já era um objetivo. Quando vi o filme, me apaixonei e achei que seria interessante fazermos um seriado. Ela é uma atriz incrível e, o Alvarenga, um diretor espetacular.

O que faz de Divã um ‘produto’ tão multimídia?

Jayme Monjardim: Divã é um projeto com um leque de opções muito grande, que discute mulher, relacionamento, angústia, tristezas e alegrias. Ele nos dá margem para abrir uma discussão de vários temas, e todos ligados ao mundo moderno.

A história da Mercedes acaba aqui?

Jayme Monjardim: Não podemos adiantar nada, mas ela, finalmente, conseguirá uma bolsa para estudar artes plásticas na França e, quem sabe, não voltará ainda mais transformada...


Entrevista com o diretor geral José Alvarenga Jr.

Com trabalhos no cinema, na televisão e na publicidade, José Alvarenga Jr. passeia com habilidade por diversos gêneros e linguagens. O diretor geral começou a carreira no cinema e já lançou nove longas-metragens: ‘Os Normais 2 – A Noite Mais Maluca de Todas’, ‘O Divã’, ‘Os Normais, o filme’, ‘Zoando na TV’, ‘Os Heróis Trapalhões – Uma Aventura na Selva’, ‘O Casamento dos Trapalhões’, ‘A Princesa Xuxa e os Trapalhões’, ‘O Mistério de Robin Hood’ e ‘Os Trapalhões e a Árvore da Juventude’. Antes de trabalhar na TV, atuou na publicidade e chegou a produzir mais de 150 comerciais em seis anos. Ingressou na TV Globo no seriado 'A Justiceira', em 1997, e, desde então esteve em produções como ‘Os Normais’, ‘Minha Nada Mole Vida’, ‘Os Aspones’, ‘Os Amadores’, ‘A Diarista’, ‘Mulher’, ‘Força Tarefa’ e ‘Separação?!’.

Como seguir com a personagem Mercedes, desta vez na TV?

José Alvarenga Jr.: Foi muito bom poder continuar contando aquela mesma história, tão rica, bem constituída e bem interpretada pela Lilia Cabral. Trouxemos todos os bons personagens do filme para seguir com ela nos episódios. E para aqueles que já não poderiam estar mais, como a amiga que faleceu (Monica), fomos buscar no livro de Martha Medeiros outra pessoa. O bacana também foi ter tempo para abordar vários temas, e, claro, melhorar ainda mais a qualidade de tudo.

Como a trama irá se desenvolver? 

José Alvarenga Jr.: A ideia era fazer uma obra fechada. Tirando o primeiro e segundo episódios que se comprometem, todos os outros são independentes.

Como foi a seleção da trilha sonora?
José Alvarenga Jr.: Mercedes é uma mulher de 50 anos e de bem com a vida. A trilha sonora terá muito anos 70 e 80, Chico Buarque, Caetano Veloso, Marina e Tim Maia.

 Perfil dos personagens


MERCEDES (Lilia Cabral) – Uma mulher feliz, simples e consciente de suas conquistas. Após algum tempo afastada da terapia, decide voltar ao consultório. Sua vida continua, com acertos e erros. Na vida profissional, conseguiu por em prática sua maior paixão, as artes plásticas. Na vida pessoal, passou a se permitir mais e se julgar menos.

BRUNO (Duda Nagle) e THIAGO (Johnny Massaro) – Filhos de Mercedes. Já estão crescidos, cheios de plano e metas.

TÂNIA (Totia Meireles) – Melhor amiga de Mercedes, descolada e divertida. Foi casada várias vezes, é leitora voraz de livros de auto-ajuda e dona de uma galeria de artes. 

RENÉE (Paulo Gustavo) – Amigo cabeleireiro, extravagante e falante. Vive aconselhando Mercedes de forma hilariante e inusitada e, naturalmente, com incrível sabedoria popular.

MAGALI (Julia Almeida) - Dona do salão de beleza onde trabalha Renée e equivocadamente interessada por ele.

JURANDIR (Marcello Airoldi) - Vizinho e gerente do banco de Mercedes. Um cinquentão viúvo, apaixonado por Mercedes, apesar de estar longe de ser o tipo que a interesse. 

NATALIA (Lidiane Ribeiro) –  Empregada de Mercedes.

Legenda 1: Mercedes(Lilia Cabral) e Tânia (Totia Meireles) – TV Globo / Márcio Nunes

Legenda 2: Mercedes(Lilia Cabral), Thiago (Johnny Massar) e Bruno (Duda Nagle) – TV Globo / Márcio Nunes

Legenda 3: Suzana (Patricia Pillar) e Carlos (Domingos Montagner) – TV Globo / Márcio Nunes


 
 Mais novidades em www.redeglobo.com.br e @rede_globo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

0 comentários:

Postar um comentário

Comente, sua opinião é importante para o blog.