Por toda a minha vida - Memórias e sucessos de Raul Seixas



Um homem que moveu multidões e morreu sozinho, um cantor inteligente, que gravou 30 discos, 400 músicas e sucessos que marcaram gerações. Uma pessoa afetiva que casou cinco vezes, teve três filhas, mas não conseguiu conviver com todos em harmonia. Esta “metamorfose ambulante” da vida de Raul Seixas é o tema do último Por Toda a Minha Vida de 2009, que a TV Globo exibe quinta-feira, dia 03 de dezembro, após ‘A Grande Família’. Com direção de núcleo de Ricardo Waddington, redação final de George Moura e apresentação de Fernanda Lima, o especial traz imagens de arquivo, dramatização e depoimentos de pessoas que acompanharam de perto a carreira de Raul, como seu irmão Plínio, os cantores Jerry Adriani, Tom Zé e Marcelo Nova, os produtores musicais Marco Mazzola e Roberto Menescal, os jornalistas Tárik de Souza e Hérica Marmo e seu grande parceiro Paulo Coelho.


Raul Seixas nasceu em Salvador e, ainda menino, descobriu suas paixões: a escrita e o rock. A influência americana em sua vida era enorme e ele adorava falar inglês e faltar aulas no colégio para assistir aos filmes do Elvis Presley. Inspirado no ídolo, criou a banda “Relâmpagos do Rock”, aos 17 anos, subindo ao palco com uma vitalidade que encantava os jovens e preocupava os pais. “As mães achavam que ele estava tendo um ataque de epilepsia e tentavam impedir as filhas de se aproximarem do palco”, conta Marcelo Nova.A família de Raul também era contra, mas teve de aprender a lidar com a ascendente carreira do cantor.


Depois de “Relâmpagos do Rock” veio uma nova banda, “Os Panteras”, e Raulzito, como também era chamado, fez shows pelo interior e cobrou os cachês mais altos de Salvador. A decisão estava tomada: ele largou os estudos e focou na carreira. Só que o sucesso na Bahia não se repetiu no Rio de Janeiro. Pelo menos não tão rápido. Com a mulher Edith e “Os Panteras”, passou as dificuldades de um artista iniciante e voltou para sua terra natal. “Ele ficou meio maluco porque cortou o principal objetivo da vida dele”, lembra o irmão Plínio. A época difícil começou a mudar quando Raul retornou à cidade maravilhosa, desta vez com emprego garantido como produtor na CBS. E foi assim, com terno e gravata, que convenceu Marco Mazzola a ouvi-lo cantar e mudou seu destino. “Você é o novo contratado da gravadora”, disse Mazzola a um cantor incrédulo, depois de conversar com Roberto Menescal.


Antes de deixar o emprego como produtor de discos, o cantor também conheceu um de seus maiores parceiros: Paulo Coelho. Já em seu primeiro LP, assinava com ele cinco títulos e este era só o início de uma história de muitos sucessos que inclui canções como “Há 10 mil anos atrás” e “Sociedade Alternativa”, esta última do álbum Gita, que lhe rendeu um disco de ouro após vender mais de 600 mil cópias. Raul passou a se tornar uma referência, mas também a perder os limites. “Foi um homem de excessos”, definiu o jornalista Tarik de Souza. E tais excessos mudaram sua trajetória. Festas, bebidas, viagens, romances, sofrimento.


Contraditoriamente, morreu cedo, aos 44 anos, e sozinho, em 21 de agosto de 1989. Seu enterro foi marcado pela presença de uma legião de fãs e amigos que quiseram prestar sua última homenagem ao "maluco beleza".Apresentado por Fernanda Lima, ‘Por Toda a Minha Vida Raul Seixas’ tem direção de núcleo de Ricardo Waddington e direção de João Jardim. Escrito por Sérgio Goldemberg, apresenta reportagem de Sílvio Essinger e redação final de George Moura.


Foto - Raul Seixas (Julio Andrade).

Crédito da Foto – TV Globo/João Miguel Júnior.


Você encontra mais novidades sobre a programação da Rede Globo no site http://www.redeglobo.com.br/.

EMMY - Caminho das Índias ganha prêmio de melhor novela no Emmy Internacional


Caminho das Índias foi escolhida a melhor novela do 37th International Emmy Awards, prêmio entregue ontem, dia 23, em Nova York, à autora Gloria Perez e ao diretor artístico Marcos Schechtman. Numa noite de muita emoção e expectativa, Caminho das Índias, entre as dezenas de obras inscritas, disputou com duas novelas da Filipinas e uma da França a estatueta que representa a mais importante premiação no mercado de televisão. "Depois de um ano como esse, é muito emocionante lembrar de tudo o que passamos para chegar até aqui. Estou muito emocionada e sem palavras. Obrigada", agradeceu Gloria Perez.


Ao lado de Gloria, o diretor artístico de Caminho das Índias, Marcos Schechtman, também celebrou a premiação, anunciada pela atriz, cantora e compositora americana Katherine McPhee: "É uma tremenda emoção. Foram dois anos de trabalho, com uma equipe maravilhosa, um grande elenco e a parceria emocionante com a Gloria. Nem tenho palavras para agradecer. E em inglês foi dificil; faltaram palavras. Obrigado ao público que nos acompanhou". A entrega do prêmio aconteceu no Hilton Hotel, durante o jantar de gala. Ao todo, foram mais de 800 programas de cerca de 50 países inscritos nas 10 categorias, disputando o título de melhor do mundo. Juliana Paes, que participou da cerimônia de premiação apresentando uma das categorias, também comemorou. "Estou sem ar e feliz da vida. Sinto-me muito prestigiada por fazer parte desse sucesso", declarou a atriz, muito animada. Foi a quarta vez que a Rede Globo ganhou o Emmy Internacional na área de entretenimento.


Em 1981, o vencedor foi "A Arca de Noé", um ano depois "Morte e Vida Severina” levou a estatueta. Em 1983, Roberto Marinho ganhou o Emmy Internacional na categoria direção. Agora foi a vez de Caminho das Índias e a Rede Globo continua a ser a única rede de TV brasileira a ganhar o Emmy Internacional. "É extremamente extraordinário o reconhecimento da novela brasileira como a melhor novela do mundo", destacou o diretor Marcos Schechtman.


Exibida de 19 de janeiro a 14 de setembro de 2009, Caminho das Índias teve sua trama principal ambientada na Índia e cativou o público ao mostrar as diferenças entre a nossa cultura e os costumes e as tradições daquele país, através de uma grande saga de amor. "Estivemos sempre pensando em contar uma história para o mundo, uma história universal que todas as pessoas do mundo pudessem se apaixonar e se envolver por ela", lembrou a autora da novela, Glória Perez. Gloria Perez e Marcos Schechtman já realizaram vários trabalhos juntos, entre os quais a novela América e minissérie Amazônia. Só para produzir e gravar Caminho das Índias foram 15 meses de trabalho de toda a equipe. Em outubro do ano passado, parte do elenco e da equipe viajou com Schechtman para a Índia onde foram gravadas várias cenas com os protagonistas da trama em Jaipur e Agra.


Os primeiros encontros dos protagonistas Maya (Juliana Paes) e Bahuan (Márcio Garcia), a rotina da jovem com Raj (Rodrigo Lombardi), os embates entre Opash (Tony Ramos) e Shankar (Lima Duarte) e a adaptação da brasileira Camila (Ísis Valverde) a uma cultura tão diferente da sua foram algumas das cenas gravadas sob os olhares cuidadosos de Schechtman e do diretor Fred Mayrink. Na CGP/RJ, duas cidades cenográficas reproduziram ruas das cidades indianas e uma parte do rio Ganges para a gravação da maior parte das cenas de Caminho das Índias.


Foto - Juliana Paes, Gloria Perez e Marcos Schechtman


Crédito da Foto – Divulgação TV Globo.

Disney Media Networks Latin America e Rede Globo.



A Rede Globo e a Disney Media Networks Latin America (DMNLA) renovaram seu acordo de distribuição de programação. O contrato, assinado ontem, em Miami, pelo diretor da Central Globo de Programação, Roberto Buzzoni, e pelo vice-presidente sênior de Distribuição e Produção da Disney Media Networks Latin America, Fernando Barbosa, dá à Globo os direitos exclusivos de transmissão na televisão aberta brasileira, pelos próximos quatro anos, de uma extensa variedade de programas.
Foto - Roberto Buzzoni e Fernando Barbosa
Crédito da Foto – TV Globo / Craig Ambrosio.

“Estamos muito contentes porque a Rede Globo, assim como nós, reconhece o valor que este acordo gera para as duas empresas e, por isso, mutuamente, optamos por prolongar nosso negócio conjunto. Estamos certos de que a Globo é o lugar adequado para o conteúdo Disney na televisão aberta brasileira. Não temos nenhuma dúvida de que, nesta nova aventura, daremos o melhor de nós. Aproveitamos para agradecer a Globo pelo cuidadoso tratamento que dá a nossos produtos”, afirmou Fernando Barbosa, vice-presidente sênior de Distribuição e Produção da Disney Media Networks Latin America.

Por este acordo, a Rede Globo tem os direitos exclusivos no Brasil de exibição na TV aberta das populares séries da Disney, entre elas “Hanna Montana”, “Zack e Cody: Gêmeos a Bordo”, “Os Feiticeiros de Waverly Place” e “Jonas”, e também de desenhos animados como “Phineas e Ferb”, “Jake Long, o dragão americano” e “Mickey e seus amigos”.

Por conta deste contrato, também estarão disponíveis para a Rede Globo filmes dos selos Touchstone, como “Motoqueiros Selvagens”; Hollywood Pictures, como “Os Invencíveis”; Miravista, como “Inesquecível”; Walt Disney Pictures, como “Piratas do Caribe: O baú da morte” e “O cão e a raposa 2”; Disney.Pixar, como “Carros”; Lion’s Gate, como “Jogos Mortais III”, distribuídos pela Disney; e também filmes Disney Channel, como “High School Musical”. O convênio também inclui os direitos de transmissão no Brasil do Oscar.

“Estamos muito satisfeitos com este novo acordo, que simboliza para nós um sinal de confiança da Disney na nossa parceria e na nossa programação. A Rede Globo tem uma vitoriosa estratégia de programação, da qual, não temos dúvida, a Disney é parte importante. Os produtos Disney são um diferencial da nossa programação de desenhos animados desde 2005 e também de nossa grade de filmes, que, graças à preferência do público que todos os dias reconhece a sua qualidade, é líder indiscutível de audiência no Brasil”, disse Roberto Buzzoni, diretor da Central Globo de Programação.

Sobre a Disney Media Networks Latin America
Disney Media Networks Latin America é a divisão integrada da The Walt Disney Company Latin America responsável pelo gerenciamento dos negocios de televisão, rádio e cabo em toda a América Latina. Com base regional na Argentina, conta também com escritórios no Brasil, no Chile, no México, nos Estados Unidos (Miami) e na Venezuela.



Você encontra mais novidades sobre a programação da Rede Globo no site www.redeglobo.com.br.

"Ó PAI Ó" - 2° TEMPORADA

Atores da segunda temporada de ‘Ó Paí, Ó’, o autor Guel Arraes, a diretora-geral Monique Gardenberg e a diretora Carolina Jabor se reuniram nesta terça-feira, dia 03, na Glória, zona sul do Rio de Janeiro, para apresentar a segunda temporada da série. A trama, que estreia dia 13 de novembro na Rede Globo, retrata de maneira irreverente o cotidiano dos moradores de um animado cortiço do Pelourinho, centro histórico de Salvador. “Foi um delírio voltar à Bahia para filmarmos ‘Ó Paí, Ó’. Os atores do Bando de Teatro Olodum e todos os outros convidados são exemplos de profissionalismo e é sempre um prazer trabalhar com eles”, declarou Monique. Guel Arraes reiterou os elogios: “Este é um produto louvável e queremos dividir com vocês a alegria de levá-lo mais uma vez para a televisão. Nele, temas polêmicos são tratados com humor, por serem um rico universo para a comédia”.

No encontro, Valdinéia Soriano, Érico Brás e Jorge Washington representaram o Bando de Teatro Olodum e se juntaram aos atores Aline Nepomuceno, Luciana Souza, Lyu Arisson, Tânia Toko e à Luana Piovani e Luis Miranda, convidados especiais que participam desta temporada. Contente em rever os amigos de sua cidade natal e em protagonizar a série, Lázaro Ramos revelou que seu personagem sofreu algumas mudanças: “Roque sempre foi engraçado e engajado. Ele está inserido no universo da comédia, mas se preocupa com sua comunidade. Mas agora comete alguns erros e trai a namorada, por exemplo”, explica ele. Luana Piovani ressaltou a satisfação a oportunidade de fazer parte do projeto: “A diretora Olívia Guimarães me convidou para interpretar a Patrícia e eu aceitei de imediato graças à qualidade dos que dirigem, escrevem e fazem ‘Ó Paí, Ó’. Minha personagem é uma empresária que vai tirar o sono de Roque”, afirma a atriz.

A segunda temporada terá quatro episódios escritos por Guel Arraes, João Falcão e Adriana Falcão. A direção geral da série é de Monique Gardenberg, que assina ainda o primeiro episódio, “Quero ver a Bahia Tremer”. Mauro Lima, Olívia Guimarães e Carolina Jabor, dirigem os outros três: "A Outra", "Preto no Branco" e "A Cara do Pai", respectivamente. No elenco da produção estão Lázaro Ramos, Matheus Nachtergaele, Lázaro Machado, Aline Nepomuceno, Tânia Toko, Lyu Arisson, Luciana Souza, Edvana Carvalho e o Bando de Teatro Olodum, além das participações especiais de Deborah Secco, Luana Piovani, Luis Miranda, Lázaro Machado e Carlinhos Brown.
Ó Paí, Ó’, que vai ao ar às sextas-feiras, a partir de 13 de novembro, logo após o ‘Globo Repórter’, é mais um investimento da Rede Globo em co-produções. A iniciativa nasceu em 2003 para contribuir com a ampliação de seu conteúdo. Desde então, a emissora aposta na aproximação com produtoras independentes do país, a exemplo da Dueto Filmes, e pretende continuar abrindo espaço em sua grade de programação para talentos artísticos do mercado. A série tem a supervisão artística da TV Globo, que co-produz e acompanha todo o desenvolvimento do projeto. ‘Homem Objeto’, ‘Cidade dos Homens’, ‘Cena Aberta’, ‘Carandiru – Outras Histórias’, ‘Central da Periferia’ e ‘Antônia’ são outros exemplos de co-produções da emissora na área de dramaturgia.